Casos de fiéis que independente da situação, levam seus princípios religiosos acima de tudo.

O INEP (órgão do MEC responsável pelo Enem), juntamente com o ministério da educação, está dando desde 2009 aos alunos religiosos que possuem o sábado como dia de guarda, a oportunidade de fazer o Enem ao anoitecer. Eles terão que entrar junto com os outros concorrentes às 13h (horário que começam as provas), e esperar isolados dentro de uma sala até às 18h para iniciar a prova. Este tipo de atitude está gerando uma dúvida na sociedade. Até que ponto a religião tem maior peso sobre a vida acadêmica, social e profissional?
            Algumas religiões vêm chamando a atenção da mídia e da sociedade, por esses casos dos princípios religiosos irem de frente com algum tipo de responsabilidade cotidiana da vida. Um exemplo são os Testemunhas de Jeová, Judeus e os Adventistas do Sétimo Dia as quais fazem de tudo para que sua vida em sociedade esteja de acordo com suas convicções.

Aspecto Social

Em setembro de 2013, na cidade de Tubarão, Santa Catarina, médicos do Hospital Nossa Senhora da Conceição, obtiveram do juiz Elleston Lissandro Canali uma liminar autorizando transfusão sangue em um recém-nascido cujos pais são da religião Testemunhas de Jeová, que não aceitam esse recurso da medicina. Os médicos recorreram ao Ministério Público de Jaguaruna, que acionou a Justiça e o Conselho Tutelar. Sem a transfusão, a criança corria risco de morte. Ela nasceu no dia 31 com 900 gramas. No entendimento do juiz, o artigo 5º da Constituição assegura a todos o direito à vida e à saúde, com prioridade sobre outros direitos, incluindo o de liberdade de crença religiosa.

Segundo jw.org, site oficial da instituição, eles se absteem da trasnfusão pelo fato de interpretarem alguns versos da Bíblia Sagrada."Tanto o Velho como o Novo Testamento claramente nos ordenam a nos abster de sangue. Além disso, para Deus, o sangue representa a vida. (Levítico 17:14) Então, nós evitamos tomar sangue por qualquer via não só em obediência a Deus, mas também por respeito a ele como Dador da vida." afirma o portal oficial da instituição religiosa.

Esta defesa vai contra o que prega a sociedade, que não é só a favor, mas também apoia este tipo de ação, propagando e influenciando jovens e adultos a serem doadores. Para o fiél Cleiton Xavier é uma questão pessoal. "Desde meu nascimento fui criado com esse ensinamento bíblico, e com certeza não quero desobedecer este principio independentemente do caso", afirma o jovem de 22 anos.

Aspecto acadêmico

            Para o ENEM 2013 foram inscritos 90.273 sabatistas, membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia e judeus que por questões religiosas precisam guardar o sábado. A estudante de direito Linda Leah Shayo, 17 anos, judia, participou da edição do ENEM do ano passado e precisou esperar até as 19h50 para começar a prova, pois para os judeus o sábado só se encerra quando as três estrelas aparecem no céu.

            Já o Adventista, Hugo Vinicius, 18 anos, se sentiu privilegiado por estar recebendo do governo esta excessão e dar o exemplo da sua fé para os outros. "Separo este dia para adoração a Deus. Para mim, estou disposto a abrir mão de tudo e seguir o que a palavra de Deus diz. Que é ter um dia só para Ele", afirma o estudante que prestou o exame este ano.

            Ambas as denominações acreditam que o sétimo dia ou sábado (shabbat no caso dos judeus), é um dia separado por Deus para se aproximar Dele no sentido físico, mental e espiritual. Segundo suas intepretações teológicas, os dias são separados entre tarde e manhã, por isso eles consideram de um por-do-sol a outro, um dia. Para o pastor da igreja Adventista, Rick Castro,"este tipo de atitude dos fiés mostram a sociedade que existem pessoas dispostas a seguir o que a bíblia diz", afirma o pastor que se sente privilegiado por seus membros seguirem a doutrina bíblica.

            Para a psicóloga Juliana Bazeth, o aluno que passa trancafiado numa sala durante 7 horas seguidas, pode sofrer alguns efeitos colaterais. "Um aluno já fica naturalmente ansioso para uma prova, o que não é nada demais, já que ele está sendo avaliado. Quando se trata do vestibular essa ansiedade aumenta devido a competição,  a expectativa e cobrança da família em cima dele, e sua própria expectativa de cursar uma faculdade. Ficar trancado numa sala sem poder sair por 7h causa cansaço físico, já que você não tem as condições apropriadas para descanso, e até mesmo a alimentação fica prejudicada. O cansaço físico interfere (e muito) no rendimento do aluno, agora acrescente a isso toda a ansiedade natural, e a ansiedade extra dele saber que dali a algumas horas fará a prova que outros estão fazendo agora. Logo temos um aluno extremamente ansioso e cansado, o que com certeza irá interferir na sua atenção e concentração na hora da prova, sendo possível que este aluno não se saia tão bem, quanto se estivesse fazendo a prova nas condições esperadas, ou seja, junto com todos os outros alunos.". A psicóloga ainda indica, que caso queiram realmente seguir suas convicções religiosas, "... tomem bastante água, comam frutas ou alimentos ricos em proteínas" afirma Juliana Bazeth.

Aspecto Profissional

            No bairro de Olaria, Zona Norte do Rio de Janeiro, o microempreendedor Fernando Leal, além de possuir duas academias no mesmo bairro, é um fiel da Igreja Adventista. Consequentemente o mesmo não abre seu empreendimento aos sábados. Para o empresário, é uma questão de fé. "valorizo meus princípios religiosos acima de tudo. O mesmo Deus que me dá diariamente o dom da vida é o mesmo que quero obedecer".

           Perguntado sobre o fato da aderência dos alunos a sua fé, Leal foi sincero ao responder, "perdi vários alunos por conta de abrir a academia sexta à noite, nem aos sábados, mas dou graças a Deus pelos meus 400 alunos que tenho e as duas academias. Sei que sendo fiel a Ele, Ele me dará em dobro". O mesmo cita o caso de um personagem bíblico chamado Jó, que perdeu tudo o que tinha, mas continuou fiél a seu Deus, "Jó é um exemplo bíblico de fidelidade, Deus o testou e Ele o abençoou", afirma o empreendedor que demonstrou convicção em sua crença.

Entendendo o mundo cristão

            O Dicionário Webster’s define um Cristão como: “uma pessoa que professa a crença em Jesus Cristo ou na religião baseada nos ensinamentos de Jesus”. Os seguidores de Jesus Cristo foram chamados “Cristãos” pela primeira vez em Antioquia (hoje chamada de  Antakya, localizada no sudeste da Turquia), porque seu comportamento, atividade e fala eram como Cristo. A expressão foi inicialmente usada pelas pessoas de Antioquia como um apelido desrespeitoso para debochar dos Cristãos. Significa literalmente, “pertencente ao partido de Cristo” ou um “aderente ou seguidor de Cristo” conforme afirma o site GotQuestions.org. Até os dias de hoje, aqueles que se dizem Jesus Cristo, são chamados de cristãos.

            Segundo dados do Censo 2010 divulgados pelo IBGE, o número de católicos no país caiu 12,2% na última década. No mesmo período, a população evangélica cresceu 44,1%. Esse aumento, porém, é menor do que o detectado entre 1991 e 2000, quando o número de evangélicos aumentou 71,1%. Percebe-se que apesar de ainda vivermos num mundo com grande parte da população católica e possuir feriados que diz respeito ao mesmo segmento religioso, as religiões evangélicas vem ganhando seu espaço dentro do âmbito mundial. O mais importante de tudo, de acordo com o conceituado filósofo e professor de teologia, Mario Sérgio Cortella, "Ética é a concepção dos princípios que eu escolho, Moral é a sua prática". O Teólogo ainda afirma que, "acima de qualquer posição religiosa, deve-se haver respeito mutuo e coragem para levar sua fé até o fim". afirma o filósofo.

É possível ver nestes casos, pessoas que se colocaram a disposição para seguir seu segmento religioso até o fim. Uma luta contra uma sociedade inteira em pról dos seus princípios.

 

Por: Agnes Lucas de Araujo